Capacitação em gestão: chave para o sucesso

Quero controlar meu dinheiro

Artigo - 5 de março de 2021

Por Sebrae-SP  | Capacitação em gestão, Gestão

Empreendedores que buscam qualificação têm mais chances de superar os obstáculos e se manter no mercado

Empreendedor capacitado tem mais chances de sucesso. Essa afirmação pode não trazer nenhuma novidade, mas quem sentiu na pele (e no caixa) a diferença que o conhecimento em gestão faz nos negócios, tem a real noção do quanto se qualificar é importante.

Dados do Sebrae-SP compilados entre 2000 e 2019, com base em números da Receita Federal, mostram que, em média, 39% das empresas fecharam as portas neste período. Quando analisados os dados de empresas que não passaram por nenhuma capacitação com o Sebrae-SP, por exemplo, esse número sobe para 43%. Já a parcela de fechamento dos pequenos negócios que buscaram alguma forma de capacitação com a entidade cai para 19%. No recorte dos MEIs, a média de fechamento é maior: sobe para 49% e chega a 54% entre os não capacitados, caindo para 28% aqueles com o mínimo de conhecimento em gestão.

O Microempreendedor Individual Ailton Dantas é um exemplo de como a qualificação pode mudar o rumo dos negócios. Ele conta que sempre trabalhou com frutas, seja em feiras livres ou fazendo sucos naturais para vender, mas suas iniciativas nunca davam certo e ele acabava “quebrando” por falta de conhecimento em gestão, principalmente na questão financeira.

“Misturava muito o dinheiro. Chegava a gastar todo o meu lucro com coisas pessoais e não repassava corretamente para a empresa, para fazê-la crescer”, explica. Em 2017, Dantas procurou o Sebrae-SP. Fez capacitações focadas em finanças para aprender a controlar o dinheiro da empresa e para formar corretamente o preço de vendas de seus produtos. Foi nessa época que entendeu também a importância da formalização, tornando-se MEI já em 2018. “Estudar é de suma importância. Quando não temos um norte, o Sebrae nos ajuda. Com certeza, eu não teria quebrado antes se tivesse o conhecimento de hoje”, afirma. Hoje, o empreendedor é conhecido em São Mateus, bairro da Zona Leste de São Paulo, como “O Rei das Frutas”. Além de ver o seu negócio prosperar, ele segue se capacitando para alçar voos mais altos. Atualmente, está buscando mais conhecimento na área de agricultura, pois almeja se tornar um produtor rural em breve. “Ainda estou aprendendo, claro, mas o que eu sei hoje vem mudando a minha história. ”

PLANO E CONSULTORIAS

O empreendedor Marcos Raupp também quebrou no passado. Seu primeiro negócio envolvia compra e venda de mercadorias importadas, até que uma mudança repentina na taxa de câmbio em 1999, que lhe deixou no prejuízo, o fez encerrar as atividades. Em outro momento de sua jornada empreendedora, tornou-se sócio em um negócio de limpeza de edifícios que acabou não dando certo por confiar os cálculos dos custos do negócio ao parceiro de empreendimento. No entanto, com a Raupp Soluções, empresa especializada na locação de equipamentos para impressão na cidade de Registro, do Vale do Ribeira, o empreendedor segue prosperando. Raupp conta que realizou um plano de negócios para desenvolver a empresa, além de ter feito consultorias de finanças e planejamento com o Sebrae-SP. “Estamos melhorando muito com o Sebrae e procuramos sempre estudar. Mesmo na pandemia, nós não paramos. Trabalhamos de portas fechadas e seguimos conseguindo mais clientes pelas mídias sociais, aumentando o nosso faturamento”, comemora.

A esposa dele, Grazielli Duarte, fez o Empretec em 2018, enquanto que a Raupp Soluções participa atualmente do ALI, programa gratuito de inovação do Sebrae, em parceria com o CNPq. “Hoje a nossa dor é o administrativo. Sabemos o que precisa ser feito, mas precisamos organizar o nosso tempo, parar, sentar e fazer. Temos algumas lições de casa do programa para finalizar e o Sebrae vem nos fazendo enxergar questões que antes passavam despercebidas”, comenta.

RELACIONAMENTO

O consultor de negócios do Sebrae-SP Rafael de Souza reforça que informação e conhecimento são requisitos básicos para uma boa gestão. Ele também lembra que quem busca a sala de aula, seja online ou presencial, tem também a possibilidade de trocar experiências com outros empresários.

“Esse relacionamento gera muitos aprendizados. Um exemplo de boas práticas em sala de aula pode incentivar os demais, fora as oportunidades de negócios. Por várias vezes tivemos alunos em sala de aula que conseguiram gerar negócios durante os cursos entre os participantes”, explica o consultor (conheça um desses casos clicando aqui).

Na visão do especialista, quem não busca se capacitar antes de começar um negócio ou mesmo depois de aberto para se atualizar, perde muitas oportunidades além do conhecimento. “O empreendedor deixa de aproveitar oportunidades de inovação por não estar por dentro do que o mercado está querendo. Também perde o acesso a ferramentas que podem ajudar no dia a dia; perde por não fazer networking e conhecer outras pessoas; perde por não ter a possibilidade de gerar novos negócios; além de não receber informações sobre acesso a novos mercados e até mesmo orientação sobre crédito nesse momento da crise por conta da pandemia”, conclui.

A crise citada por Souza foi o cenário do recorde histórico de abertura de empresas. O Brasil chegou ao final de 2020 com quase 20 milhões de negócios ativos. O resultado foi apresentado pelo Ministério da Economia no Mapa de Empresas, divulgado em fevereiro.

Segundo dados do governo federal, o País criou 3,4 milhões de novas empresas no ano passado, o que representa um crescimento de 6% em relação a 2019. Destas, 2,6 milhões foram Microempreendedores Individuais, representando um aumento de 8,4% em relação ao ano anterior. Mais empresas, mais necessidade de capacitação, principalmente em um momento ruim da economia.

RESULTADOS

Se por um lado alguns empreendedores começam suas jornadas apenas com o conhecimento técnico para depois se aprimorar em gestão, tem aqueles que já iniciam em ambas as frentes. Celso Santana utilizou toda a sua experiência como gestor em diversas empresas do setor privado para empreender no segmento fitness a partir de 2016.

Sócio da unidade de São Caetano da academia Peralta Fitness e gestor das outras cinco espalhadas em São Paulo, o empresário explica que esse conhecimento ao longo dos anos foi fundamental para o bom funcionamento dos negócios, ainda mais em um segmento bastante afetado pela pandemia.

“Já fui gerente de recursos humanos, gestor geral e diretor. Além disso, já participei de uma sociedade em uma empresa de transportes e apliquei diversas consultorias de gestão. Já me aperfeiçoei com o Sebrae-SP também em cursos de gestão financeira. Todo esse repertório me ajuda a gerir as academias nesse momento crítico. Muitas academias fecharam, mas o setor não deixa de ser importante neste momento para o bem-estar das pessoas e a necessária busca por uma vida mais saudável, claro que agora respeitando todos os protocolos sanitários. ”

Santana destaca a importância da capacitação principalmente às empresas que nascem hoje por necessidade, muitas delas familiares. Na visão do empreendedor, quando uma empresa começa sem o conhecimento de gestão acaba gerando um efeito dominó na administração do negócio. “Independentemente do tamanho da empresa, precisa ter organização e planejamento. A liderança também é importante. Sem ela, existe a dificuldade de fazer a gestão, o que gera tomadas de decisões ruins em todas as áreas do negócio”, conclui.

 

Saiba como gerenciar o fluxo de caixa do seu negócio

Captcha obrigatório