Capital de giro: o que é e como funciona?

Quero controlar meu dinheiro

Artigo - 2 de outubro de 2019

Por Sebrae-SP  | capital de giro, diário de caixa, Fluxo de Caixa, lucratividade, receita

Toda empresa precisa ter um determinado valor em caixa capaz de manter suas atividades funcionando. Esse valor é chamado de capital de giro e faz toda diferença para que um negócio esteja sempre crescendo e fique livre de dificuldades. Por isso, o capital de giro é um dos pontos mais importantes da gestão financeira.

E você, está conseguindo controlar o capital de giro da sua empresa? Continue a leitura e saiba como manter em dia a saúde financeira do seu negócio.

O que é capital de giro?

O capital de giro é o dinheiro necessário para continuar o funcionamento da sua empresa. O valor dele é igual à diferença entre os recursos disponíveis em caixa e a soma das despesas e contas a pagar. Ter controle sobre o capital de giro do seu negócio é fundamental, porque ele garante a saúde financeira da sua empresa, proporcionando recursos de financiamento aos clientes (nas vendas a prazo), mantendo os estoques, assegurando o pagamento aos fornecedores (compras de matéria-prima ou mercadorias de revenda) e o pagamento de impostos, salários e demais custos e despesas operacionais.

Administrar o capital de giro da sua empresa significa avaliar o momento atual, as faltas e as sobras de recursos financeiros e os resultados de decisões tomadas em relação a compras, vendas e administração do caixa. Se você decidir fazer uma compra maior ou resolver dar mais tempo para seus clientes nas vendas a prazo, por exemplo, sua empresa precisará ter uma quantidade maior de dinheiro, ou seja, os recursos financeiros equivalentes ao seu capital de giro terão que ser maiores.

Além disso, nos últimos meses do calendário, com as ações de fim de ano que envolvem descontos da Black Friday, compra de estoques para o Natal e liquidações em janeiro, é ainda mais importante manter um controle rígido do seu capital de giro e fazer a gestão correta desses recursos.

Fique atento: muitas pessoas confundem capital de giro com fluxo de caixa, mas eles são diferentes e, na verdade, se complementam. Enquanto o fluxo de caixa representa o movimento de entrada e saída do dinheiro, o capital de giro é a diferença entre a entrada e a saída, ou seja, é o valor disponível para uso. Em outras palavras, o capital de giro é a soma dos recursos envolvidos no fluxo de caixa.

Dicas básicas para controlar o capital de giro da sua empresa

Veja algumas dicas básicas para facilitar a sua gestão financeira e controlar seu capital de giro.

  1. Identifique e corte gastos

Analise e identifique quais custos podem ser reduzidos e faça o que for necessário para cortá-los. Para isso, fique sempre atento ao fluxo de caixa para manter suas finanças em dia. Realizar um diário de caixa, ou seja, um controle de caixa diário para verificar as movimentações registradas de entrada e saída de dinheiro, pode simplificar essa análise.

  1. Tenha muita disciplina

Usar o capital de giro para cobrir alguma despesa e, depois, deixar de repor a mesma quantia quando entra o dinheiro em caixa é um erro que pode trazer grandes problemas para o seu negócio. Por isso, seja rígido e “chato” com o seu controle financeiro e com a utilização e reposição do seu capital de giro. Assim, você estará reduzindo possíveis riscos no futuro.

  1. Saiba negociar com fornecedores e clientes

Em relação aos fornecedores, procure as formas de pagamento mais confortáveis e que se encaixem no seu planejamento de capital de giro, como o aumento do prazo de pagamento ou o pagamento à vista, se houver um desconto que caiba no seu bolso. Para os clientes, tente, sempre que possível, reduzir os prazos de financiamento. É difícil, já que os concorrentes podem oferecer condições de pagamento melhores que a sua, mas lembre-se que essa é uma estratégia muito importante para manter o seu capital de giro seguro.

  1. Antecipe pagamentos a receber

Para ter mais dinheiro em caixa, você pode procurar instituições financeiras e receber delas os valores que teria somente no futuro. Porém, fique atento às taxas de juros cobradas por esse serviço e veja se essa opção realmente vale a pena para o seu negócio.

  1. Faça um empréstimo

Se a sua empresa precisa pagar dívidas e não tem dinheiro em caixa, o empréstimo é uma alternativa. Mas, para isso, novamente é importante ter um planejamento. Não procure esse serviço se sua empresa não possui garantias futuras para quitá-lo. Ao considerar fazer um empréstimo, pesquise os menores juros do mercado e não faça dessa alternativa um hábito. A melhor opção é tentar corrigir os procedimentos de compra e venda da sua empresa para conseguir ficar no azul com seu capital de giro, sem precisar recorrer a meios que podem fazer suas dívidas aumentarem mais ainda.

Faça o controle correto do capital de giro com a ajuda do Sebrae

Como você viu, é muito importante entender e controlar o capital de giro da sua empresa. Se quiser mais uma ajudinha nessa etapa fundamental da gestão financeira, conte com o Sebrae. Temos uma ferramenta acessível para análise e monitoramento do diário de caixa e do fluxo de caixa, que vai deixar ainda mais seguro o controle do seu capital de giro.