Como escolher embalagens para o delivery?

Quero vender mais

Artigo - 14 de abril de 2021

Por Sebrae-SP  | Delivery, Embalagens

O professor e conselheiro do Instituto Plastivida, Ivam Michaltchuk, tira as dúvidas sobre quais tipos de embalagens utilizar para o delivery

Com a pandemia ainda exigindo que os restaurantes atuem principalmente com a entrega a domicílio, a atenção com a forma que os alimentos são embalados é essencial não apenas para que os pratos cheguem frescos para o cliente, mas também estejam seguros para o consumo. Para ajudar com todos as dúvidas na hora de escolher embalagens para o delivery, o professor e conselheiro do Instituto Plastivida, Ivam Michaltchuk, o que levar em consideração nesse momento. Ivam também é pós-graduado em gestão ambiental, além de técnico em embalagens rígidas e flexíveis.

Atualmente, quais são os tipos de materiais que compõe as embalagens de delivery de alimentos?

Quando falamos em delivery, precisamos ter em mente sempre a questão da segurança alimentar, pois este é um tema de saúde pública. Neste caso, devemos considerar materiais seguros, de uso único, com certificação para alimentos, que atendam aos requisitos legais, que não sejam reutilizáveis (para evitar a proliferação de microrganismos patógenos – que transmitem doenças veiculadas por alimentos – DVAs) e, acima de tudo, que sejam passíveis de reintrodução no processo produtivo através da reciclagem, transformando-se em novos produtos e não em velhos problemas.

Existem legislações que regulam quais embalagens podem ou não ser utilizadas no delivery de alimentos?

Não somente para delivery, mas para contato direto com alimentos de forma geral. Qualquer equipamento, utensílio ou embalagem que irá acondicionar, transportar e proteger todos os tipos de alimentos (in natura, processados ou prontos para o consumo) deverá respeitar princípios básicos definidos em legislação federal da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). São eles: material virgem (não pode ser reciclado), atóxico, inodoro e que não permita a migração de qualquer substância (independente da temperatura) para os alimentos, acima dos níveis seguros. No caso das embalagens plásticas por exemplo, todas devem possuir laudos de atoxicidade emitidos por laboratórios credenciados pela autoridade sanitária, respeitando os princípios da RDC 216/04 (regulamento técnico sobre boas práticas de manipulação) e da RDC-326/19 (estabelece a lista positiva de aditivos destinados à elaboração de materiais plásticos e revestimentos poliméricos, destinados a entrar em contato com alimentos).

Quais são as vantagens de cada um desses materiais?

Cada tipo de material que irá entrar em contato direto com os alimentos, tem vantagens e desvantagens, que precisam ser consideradas pelos empreendedores. Atualmente, o Poliestireno Expandido (EPS), nome técnico do popular Isopor® (marca comercial de propriedade da Knauf do Brasil), é o material mais utilizado em delivery, por seu custo x benefício (leveza, versatilidade de aplicação, modelos, formatos e cores, propriedades térmicas, reciclabilidade e transformação em produtos úteis e sustentáveis). Os grandes problemas que enfrentamos são a falta de informação, o descarte incorreto, a estrutura precária de coleta seletiva e a deficiência em educação ambiental. Resolvidos esses problemas, é preciso ressaltar que o EPS é 100% reciclável e essas embalagens devem ser separadas e limpas pela população para serem coletadas seletivamente e encaminhadas para as cooperativas, onde são separadas e destinadas à indústria de reciclagem, onde são transformadas em novos produtos (rodapés, rodatetos, molduras de quadros, etc), atendendo aos preceitos da Economia Circular.

Por quanto tempo o cliente pode manter os alimentos conservados nessas embalagens?

Alguns materiais de embalagem para alimentos são, naturalmente “condutores térmicos” e outros “isolantes térmicos”. Neste caso, tempo e temperatura são fatores críticos que estão sob nosso controle para garantir a segurança alimentar. Como as embalagens de EPS são térmicas, conservam “em média” até 50% mais a temperatura dos alimentos (quentes ou frios). Isto garante não somente um alimento gostoso, mas seguro.

O que os empreendedores devem ficar atentos ao escolher embalagens?

Se estamos falando de delivery ou “take away”, eu destacaria alguns pontos importantes: idoneidade do fornecedor, qualidade da embalagem, laudo de atoxicidade de cada tipo de material, custo x benefício, segurança alimentar e reciclabilidade, além de outros.

A Plastivida possui algum canal que atende os empreendedores com dúvidas sobre embalagens para seus negócios?

A essência da Plastivida são os plásticos. Como entidade, ela trabalha com base num tripé bastante claro e simples: consumo consciente, descarte correto e reciclagem. Por este motivo, a educação ambiental é a nossa maior bandeira. Através da formação e conscientização das futuras gerações, estamos formando, não somente empreendedores mais bem preparados, como consumidores mais conscientes de suas responsabilidades. Para tanto, nosso portal e nossas redes sociais estão recheadas de informações, dicas e materiais que, com certeza irão apoiar e conscientizar empreendedores e consumidores sobre a correta relação e benefícios da sociedade com os plásticos (www.eps.plastivida.org.br).

Aproveite e descubra soluções inovadoras para montar sua loja

Captcha obrigatório