Como está a retomada das microempresas no Brasil?

Quero ser mais competitivo no meu setor

Artigo - 30 de outubro de 2020

Por Sebrae-SP  | FGV, Pesquisa, retomada, retomada das microempresas, Sebrae

Pesquisa recente do Sebrae, em parceria com a FGV, mostrou que as microempresas já estão em uma situação de retomada das atividades no País. Segundo o estudo, oito em cada dez empresas estão funcionando durante esse momento da pandemia. Veja mais sobre a realidade da retomada das microempresas na 7ª edição da pesquisa “O impacto da pandemia de coronavírus nos pequenos negócios”.

Trabalhando com as restrições

Cerca de 21% dos empresários entrevistados atualmente estão em municípios que ainda precisam passar por algum tipo de restrição, seja o fechamento parcial dos negócios ou até mesmo as medidas de lockdown (impedimento completo das atividades comerciais, com apenas negócios essenciais funcionando). A maior parte deles atua em locais como lojas e salas de rua, considerados pontos de maior risco de aglomeração de pessoas. Para poder voltar a funcionar, a maior parte dos empreendedores teve que adotar mudanças, principalmente as recomendações dos órgãos de saúde, para manter a segurança de funcionários e clientes.

Quem mais sofre para conseguir voltar a trabalhar nesse “novo normal” são aqueles que atuam dentro de feiras ou shopping populares, assim como os ambulantes de todo País. Apesar das dificuldades encontradas na pandemia, apenas 4% dos respondentes realmente precisaram encerrar as atividades dos negócios de vez.

A recuperação das microempresas

Com seis meses do País vivendo o cenário da pandemia, o faturamento de 40% das microempresas mostrou-se abaixo do esperado para esse período do ano. Isso demonstra uma caminhada lenta para que os negócios consigam se reestabelecer, já que em abril, esse número era de 70%. Os setores que mais sofreram baixas foram os de:

  • Turismo;
  • Economia criativa;
  • Academias;
  • Logística e transporte;
  • Serviços de alimentação.

Não é apenas o faturamento das MPEs que registra aumento, o momento econômico também já permite que elas consigam manter os funcionários, reduzindo o número demissões. Algumas até já buscaram contratar mais pessoas para ajudar no processo de retomada.

Os canais digitais foram a grande ajuda para muitos empreendedores que quiseram continuar tocando seus negócios, mesmo com as obrigações de fechar as portas dos locais físicos. A pesquisa mostrou que da quarta edição da pesquisa para esta (período entre maio e agosto de 2020), houve um aumento de 8% no número de donos de microempresas que aderiram a alguma forma de e-commerce.

Para ler a versão completa da 7ª edição da pesquisa “O impacto da pandemia de coronavírus nos pequenos negócios”, acesse: https://bit.ly/2ExDRYk

Descubra como criar um plano de ação para o seu negócio

Captcha obrigatório