Gestão financeira: o que é e como fazer?

Quero controlar meu dinheiro

Artigo - 20 de janeiro de 2022

Por Sebrae-SP  | análise de atividade financeira, controle financeiro, gestão de negócios, negócios

Uma empresa forte e financeiramente saudável utiliza ferramentas, estratégias e indicadores para fazer uma gestão financeira eficiente e conseguir manter o equilíbrio diante de todos os tipos de situações. 

Contudo, para empresas que estão começando agora, principalmente donos de micro e pequenos negócios, que quase sempre são responsáveis pelas finanças além de muitas outras funções, a gestão financeira pode ficar em segundo plano. 

E é aí que os problemas começam. Empréstimos pessoais como investimento empresarial, parcelamento no cartão de crédito, pró-labore, entre outros, podem dar uma falsa sensação de equilíbrio (ou desequilíbrio). E é impossível fazer uma gestão financeira correta com informações incorretas.

No post a seguir, vamos mostrar para todos que têm uma empresa no mercado o que é e qual a importância da gestão financeira. Além disso, vamos apresentar alguns problemas que podem causar prejuízos e algumas estratégias das quais quase ninguém fala, mas que são muito importantes no cotidiano empreendedor.

Qual a importância e os benefícios da gestão financeira?

Gestão financeira não é uma fórmula mágica que, quando calculada, já dá os resultados necessários que vão levar o negócio ao sucesso. 

Muito pelo contrário. Fazer a gestão das finanças é analisar uma série de informações para identificar quando há lucro ou prejuízo, quanto do dinheiro retirado são custos e despesas da empresa e quanto é salário dos empresários, qual o capital de giro necessário para o negócio manter o equilíbrio, entre outros.

Para que essa gestão seja eficiente, ela precisa estar baseada em informações reais e concretas, por isso é fundamental fazer um controle rígido e constante através de sistemas de gestão ou das famosas planilhas.

A partir desse controle, é possível criar as estratégias que vão equilibrar a empresa financeiramente e saber quanto dinheiro está disponível para pagar as contas em momentos de baixo faturamento, fazer uma projeção de crescimento para os próximos anos, ou até mesmo uma previsão para quitar dívidas, por exemplo.

Agora que o tema gestão financeira já ficou um pouco mais claro, vamos mostrar as principais estratégias que poderão levar seu negócio ao sucesso.

Separe gastos para fazer diagnósticos financeiros corretos

Chamamos de Diagnóstico Financeiro a análise dos diversos indicadores da empresa, como faturamento, lucratividade, custos e despesas fixas e variáveis, margem de contribuição, ponto de equilíbrio, precificação, fluxo de caixa, etc.

Entender e saber utilizar todos esses conceitos é fundamental para quem está à frente de uma empresa e tem como objetivo fortalecer e melhorar os negócios. Por isso, se você ainda tem alguma dúvida, clique nos links para conferir nossos artigos.

O diagnóstico financeiro é o indicador que mostrará a real situação financeira da empresa. E para fazer a análise de todos os fatores citados acima, é preciso ter a separação total de gastos pessoais e empresariais. Essa divisão é a estratégia mais importante de que quase ninguém fala, mas que influencia dramaticamente na gestão financeira.

Segundo Alexandre Cerqueira, especialista financeiro, “Se sua empresa está fechando no azul, porque ela está dando lucro, você não pode entender que esse lucro é seu salário. O lucro tem que ser utilizado para fazer provisões, construir reservas, porque pode ser que mês que vem você não tenha um resultado tão bom”. 

A fala do especialista reforça a estratégia de separação de gastos, porque só assim você poderá saber com certeza se o negócio dá mais lucro do que prejuízos e planejar ações para manter a gestão financeira assim. Ou perceber que, na maior parte dos meses, o negócio está no vermelho, e criar estratégias que possam reverter esse quadro.

Controle todos os gastos da empresa 

De acordo com Cerqueira, “O sucesso financeiro consiste em gastar menos do que se ganha. Levando isso ao contexto empresarial, significa você ter um resultado, ter um nível de despesas inferior ao seu faturamento”. Ou seja, é necessário subtrair todos os custos, despesas, impostos, etc. e ainda fechar o mês no azul. 

O que acontece muito é que nem sempre o fluxo de caixa vai ser positivo. As vendas não dependem unicamente do empresário, porque envolvem fatores externos que podem impactar no faturamento do mês. 

Nesse caso, manter uma boa gestão financeira é muito importante para que sempre haja um valor disponível em caixa para meses de baixo faturamento. Além disso, conhecer todos os custos e despesas pode ser essencial para que o empresário saiba o que reduzir para que as contas do mês não fechem no vermelho.

Utilize crédito com consciência  

A utilização de cartões de crédito é outra estratégia financeira válida, mas que, se feita sem planejamento, pode impactar a gestão financeira e levar a informações erradas. 

Os cartões de crédito devem ser utilizados para investimentos necessários, mas para os quais não há o valor total disponível na conta da empresa. Cerqueira afirma que, ao lançar as despesas do cartão de crédito no fluxo de caixa da empresa, é necessário lançá-las como gastos reais, gasolina, alimentação, etc., e não como valores aleatórios. Dessa forma, é muito mais simples fazer a gestão financeira, analisar gastos excessivos e saber o que reduzir na hora de economizar. 

Planeje-se e crie metas realistas 

Até aqui nós já falamos de fazer projeções e criar estratégias de crescimento e fortalecimento do negócio, mas para que qualquer uma dessas ações sejam eficientes, o primeiro passo é o planejamento. 

Independente se, através da gestão financeira, você identificou lucro ou prejuízo, é necessário se planejar e criar metas a serem alcançadas, e isso só é possível com o uso de ferramentas adequadas.

A Planilha de Plano de Negócios é gratuita e permite que o empreendedor insira todas as informações relacionadas à saúde financeira da empresa, como despesas, custos, recursos disponíveis, estoque, preços dos produtos e serviços, tributos e impostos, entre outros.

A partir da visualização desses dados, é possível conhecer a fundo as informações financeiras da empresa e, só então, estabelecer metas a serem alcançadas, como quitar as dívidas em 1 ano, reduzir os custos em 10%, juntar o dinheiro necessário para investir em um sistema de gestão financeira ou até mesmo criar uma loja física para vender seus produtos.