Gustavo Cerbasi ajuda participantes da Feira do Empreendedor 2020 a fazerem escolhas inteligentes em momentos incertos

Quero ser um empreendedor melhor

Artigo - 7 de dezembro de 2020

Por Sebrae-SP  | Feira do Empreendedor, Feira do Empreendedor 2020

Palestra no último dia de evento trouxe dicas e reflexões para quem deseja controlar melhor as finanças pessoais e dos negócios

O último dia de Feira do Empreendedor 2020 contou com a palestra virtual de Gustavo Cerbasi. O educador de finanças trouxe o tema das escolhas inteligentes em tempos de incertezas, como na pandemia do coronavirus. Gustavo não focou apenas na visão dos negócios para sua apresentação, mas também falou de situações mais pessoais na tomada dessas decisões.

O educador começou abordando a questão do caixa em baixa, que é quando faltam valores que consigam cobrir a renda de uma família no mês. “Nem sempre a falta de dinheiro significa que a pessoa ganha menos do que gasta. Muitas vezes, essa falta de recurso é decorrente de um problema de fluxo de caixa. Isso significa que a pessoa usou um dinheiro sem precisar”, explicou ele. Cerbasi comentou que o ato de manter estoques, seja de mantimentos ou de mercadorias, é uma prática que precisa ser feita com muita atenção para não acabar levando o empreendedor a precisar do cheque especial ou de um empréstimo.

Ao falar sobre decisões financeiras mais equilibradas, o especialista colocou dois cenários de gastos familiares, dos quais uma prefere tratar as despesas como fixas e outra como variáveis. A diferença imposta nos cenários é que um desses exemplos contava com uma reserva de dinheiro mensal na poupança. “Em uma situação imprevista, automaticamente surge a figura da dívida. Porém, ela não deve ser sempre encarada como um problema e sim como uma possível solução para esse imprevisto. A dívida só vai se tornar um problema quando fugir do controle. Isso não acontece com quem tem uma verba reservada. ”, exemplificou.

Em seguida, Gustavo trouxe a visão do que pode ser cortado nos gastos de uma empresa. O exemplo que usou foi o de mimos que alguns negócios oferecem aos clientes. Ele citou que apesar de parecer o movimento lógico, isso pode afetar a satisfação dos consumidores, resultando em uma perda ao invés de uma economia. “Se a pessoa começa a corroer a felicidade do negócio ou até mesmo de uma família, está mais no caminho de destruir aquela empresa do que aumentar os resultados”.

Por fim, Cerbasi compartilhou algumas formas que os participantes da Feira do Empreendedor podem começar a investir. “O primeiro passo para isso é formar um reserva de emergências, ter um dinheiro separado para lidar com imprevistos. Segundo passo seria ter um plano para previdência. Normalmente, para empreendedores, o que eu recomendo é um fundo de previdência na instituição financeira com a qual trabalha. E terceiro é fazer investimentos de risco, pode ser imóveis, ações, bitcoins ou até mesmo seu negócio próprio”, explica o especialista.

Saiba mais sobre como melhorar o fluxo de caixa da sua empresa

Captcha obrigatório