Paula Caroline Garcia, conta a história de sua empresa Clinic Cursos

Quero Inovar

Artigo - 16 de dezembro de 2021

Por Sebrae-SP  | empreendedorismo, Inovação, reinventar

Paula Caroline Garcia, da Clinic Cursos, ajuda profissionais a se reinventar na pandemia 

“Eu me formei em biomedicina e há 11 anos comecei a trabalhar como funcionária na Clinic Biomedicina Estética, localizada no Centro de São Paulo. Em 2015, minha chefe estava enfrentando problemas administrativos e quis se desfazer da unidade, eu vi que conseguiria comprar a empresa dela e abracei a oportunidade. Desde o primeiro momento decidi reestruturar a marca, fiz um novo logo, investi em branding e mudei alguns serviços.

Logo que eu me tornei proprietária da clínica, procurei o Sebrae-SP para me familiarizar com a parte de gestão do negócio; naquela época a minha formação era 100% na área de estética e o Sebrae-SP me ajudou a entender melhor sobre a administração da empresa, marketing e financeiro.

Eu participei do programa ALI (Agente Local de Inovação) em 2016. Foi bem legal, porque durante as reuniões com a agente de inovação eu tinha vários insights, aprofundei alguns conceitos, tinha novas perspectivas sobre o meu negócio e refletia sobre os processos internos. Mais para frente, também participei do Empretec, que foi revolucionário na minha vida de empreendedora. Foi uma semana de imersão total, fiz networking com outros empreendedores, aprendi muito e me ajudou a enxergar que eu estava no caminho certo. 

Em 2018 começamos a ministrar cursos técnicos – entre eles, os de harmonização facial, aplicação de enzimas e micropigmentação de sobrancelhas –, que aconteciam somente aos finais de semana na clínica, mas a procura foi crescendo, formava fila de alunos interessados, e eu senti a necessidade de separar a empresa em duas: uma para os procedimentos estéticos, e outra de cursos profissionalizantes. Abri outro CNPJ, fomos para um novo endereço e passamos a oferecer os cursos de segunda a sexta-feira.

Como escola, nosso maior diferencial é a quantidade de pacientes modelo com que nossos alunos têm contato. A procura é alta tanto de quem quer se profissionalizar quanto de voluntários, que acabam pagando um valor mais baixo para receber o atendimento dos alunos. Inclusive, na Clinic Cursos, a equipe de atendimento é separada para fazer o contato com o aluno, o pós-venda e organização das turmas, e outra parte para fazer o recrutamento dos pacientes modelo. 

No começo da pandemia, os cursos pararam totalmente, nós não estávamos recebendo dos alunos, então não formamos caixa para nos mantermos. Assim que reabrimos, a situação se normalizou, muitas pessoas nos procuravam para fazer um orçamento e comparar com escolas maiores, mas acabavam optando por fechar com a gente porque nossas turmas são de até seis pessoas.

Por outro lado, durante a pandemia muitos profissionais buscaram mudar de área, queriam trabalhar com mais autonomia, flexibilidade de agenda e renda extra, isso alavancou a procura dos nossos cursos, e claro que o fato de termos preparado um espaço exclusivo para dar aulas nos ajudou a suprir a demanda. No último ano, já formamos mais de dois mil profissionais.

Eu vejo que o mercado de estética está cada vez mais em alta e ainda tem muito espaço para crescer. Acredito que a autoestima está ligada à saúde, e o Brasil é um dos maiores países consumidores de procedimentos estéticos e cosméticos. Com o tempo, esses serviços se tornaram acessíveis ao público, muito conhecimento foi importado do exterior, o que contribui para popularizar novas técnicas. Hoje em dia, com tantos novos profissionais atuando na área, fica mais fácil encontrar acesso aos serviços estéticos em clínicas especializadas e, inclusive, franquias de shopping.

Tenho planos de abrir uma nova unidade em São Paulo e também expandir para outros Estados. Em 2019 eu cheguei a fazer alguns testes e vi que temos potencial de fechar turmas em outras cidades, e pretendo retomar a ideia em 2022. Ainda mais para frente, como sou pós-graduada em docência do ensino superior, minha ideia é montar também um curso de pós-graduação.”